Entrevista # Ricardo Ragazzo

05:43



Olá Galerinha!

Tudo bom?

Hoje teremos a nossa primeira entrevista. O autor convidado é Ricardo Ragazzo, que tem dois livros publicados, que são: 72 horas para morrer ( Resenha ) e A garota das cicatrizes de fogo, lançado na Bienal do Livro, no Rio de Janeiro.





Ricardo Ragazzo é bacharel em direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, trocando o ramo antes mesmo de se formar, vivendo hoje como administrador de empresas. Em 2011 escreveu o thriller de suspense intitulado "72 horas para morrer" pela Editora Novo Século. "A Garota das Cicatrizes de Fogo" é sua segunda obra. Atualmente trabalha em seu terceiro livro e no projeto "Plots", um baralho que visa o ensino de storytelling para crianças e adolescentes.



Vamos a nossa entrevista!


1- Nos fale um pouco sobre você.

Considero escrever ou falar sobre mim a tarefa mais complicada do mundo, pois nada que eu disser, tanto para o bem quanto para o mal, poderá ser considerado imparcial. Mas podemos resumir da seguinte maneira: Sou um cantor de chuveiro frustrado que, ao perceber que o tímpano humano era bastante exigente, acabou descobrindo talento na arte de contar (escrever) histórias.

2- O que te levou a escrever?

Isso foi algo que se revelou em mim tardiamente. Confesso que nunca imaginei que poderia ter talento para escrever. Muitos que me conheceram na infância, ficam boqueabertos quando descobrem que enveredei por esse mundo. Às vezes, nem eu acredito. Tudo começou com o RPG e um grupo de amigos que gostavam das tramas que eu elaborava como "Mestre". Certo dia, depois de jogarmos uma campanha de Vampiro - A Máscara, um deles meu me deu o livro "Os Sete" do André Vianco, e me falou "Você tem capacidade de criar histórias tão boas quanto esse autor" (eu não conhecia nada do Vianco na época). Hoje, sou companheiro de editora dele. Até me arrepio quando penso nessa trajetória.

3- Quais são suas maiores inspirações?

A minha maior inspiração é ver meus filhos dormindo. Sério, isso me traz uma calma muito grande, como se algo me dissesse "Tudo sempre vai terminar bem". No mundo literário, não escondo de ninguém que sou um apaixonado pelo Stephen King. Se houvesse um ser humano no mundo que eu pudesse conhecer pessoalmente, qualquer um, escolheria ele. Mas adoro muitos outros autores: Chuck Palahniuk, pelas loucuras que escreve; Harlan Coben e James Patterson, pelo ritmo narrativo; Jeffery Deaver, Jeff Abbott e Dean Koontz, pelas histórias. Além de agora começar a me embrenhar pelo mundo do Urban Fantasy, já que meu novo livro "A Garota das Cicatrizes de Fogo" caminha para esse lado. Sem esquecer de vários autores nacionais que escrevem com qualidade internacional (É feio dizer "qualidade internacional", mas é a base de comparação que as pessoas têm por aqui).

4- De onde surgiu a ideia de colocar sobrenatural no livro 72 horas para morrer?

Meu lado Stephen King fala sempre mais alto. Na verdade, o final do livro é MUITO polêmico e acabo me divertindo com isso. Vejo gente idolatrando a história, enquanto outros querem me matar por causa do fim. Fato é que não havia outro final para esse livro. Ele foi concebido de trás para frente e, por isso, a primeira coisa que veio à cabeça foi o final da história.

5- O que podemos esperar do seu mais novo lançamento?

O mesmo ritmo narrativo, a mesma jogada de trabalhar o protagonista em primeira pessoa e os outros pontos de vista em terceira, a mesma dose de suspense. O que diferencia é que troquei o terror presente no "72 horas para morrer" pelo mistério em "A Garota das Cicatrizes de Fogo". Afinal, quem não gostaria de saber como uma garota que tem 80% do corpo queimado pode amanhecer um dia sem nenhuma cicatriz no corpo?

6- Júlio, o seu personagem em 72 horas para morrer, tem algo de você?

Só o fato de ter uma filha chamada Laura. Sou um pouco mais pacífico que ele e, também, um pouco menos violento... kkkk. O Júlio é uma mistura de John McClane (Duro de Matar) com Jack Bauer (Série 24 Horas).

7- Quem está começando agora, que conselho você daria?

Persistir é a palavra de ordem. Não dá para desistir ao primeiro não. Além disso, acreditar no seu talento e buscar todos os dias mais conhecimento. Antes de escrever, fui estudar a fundo o que significava "escrever profissionalmente". Instinto é ótimo para um escritor, mas só isso é pouco. Eu não consigo fazer algo se não souber exatamente onde estou pisando. E não se importe com críticas. Absorva as construtivas e apague da memória as que não te leve a um crescimento profissional. Por melhor que você possa escrever, sempre haverá alguém que pensara pouco de você ou suas obras. E isso é normal.
Ah! E ouvir "Dream Theater" antes de escrever ajuda muito o lado criativo! kkkkkkk

8- Quais são seus planos para futuras publicações?

Estou começando meu terceiro livro. Cada ano que passa, consigo dedicar mais tempo à escrita. A partir de agora, serão dois dias da semana dedicados quase que exclusivamente a escrever. A editora começou a apostar em mim e tenho que retribuir isso com novas histórias e mais tempo para divulgá-las. Acabei de achar um local ótimo para escrever, já que no trabalho e em casa ficou impossível.

9 - Esse ano, foi sua primeira Bienal, qual foi a sensação de estar lá?

Na verdade, essa foi minha terceira bienal como escritor. A primeira foi em 2011, no Rio, quando lancei o "72 horas para morrer". Depois em SP ano passado, também com o "72 HPM", levei o Jason e o Freddy Krueger para trabalhar a divulgação do livro e foi uma loucura. Mais de 100 livros vendidos em dois dias. Agora, na última bienal, levei os dois de novo e o sucesso se repetiu com mais de 350 livros vendidos. Mas, já que o assunto é bienal, aproveito para contar uma breve história: Em 2010, quando ainda estava com o manuscrito do "72 HPM" na pastinha, caminhava pela Bienal de SP olhando os estandes. Vi na Record um banner gigante do livro "A Batalha do Apocalypse" do Eduardo Spohr. Encarando aquela maravilha eu pensei "um dia terei um banner na bienal também". Isso ficou muito fixo na minha cabeça durante anos. Até que, esse ano, fui surpreendido pela editora com um banner meu de quase três metros de altura dentro do estande da Novo Século, no Rio. Imagine o meu orgulho de estar ao lado de figuras importantes como André Vianco, Marco Luque, Marcelo Marrom, Rosana Jatobá, Laura Conrado e Lycia Barros. Foi muito emocionante para mim, ainda mais por ter esse significado especial.

10- Deixe um recadinho aos nossos seguidores.

Galera, quem quiser bater papo, falar sobre os livros, futebol, música, sei lá mais o que, pode entrar em contato comigo pela minha fanpage - www.facebook.com/escritorragazzo, ou pelo twitter: @ricardoragazzo. Quem me conhece, sabe que tento atender todos com o máximo de atenção possível. Espero vocês lá! Sempre rolam promoções de livros na minha fanpage. Nacionais e internacionais. E para finalizar, acreditem um pouco mais na nossa literatura tupiniquim. Há muito talento por aqui também! 
Obrigada pelo interesse em responder a entrevista.
Eu que agradeço pela atenção e oportunidade, Michelle!

Abrazzo!

E aí Galerinha! Gostaram? Peço desculpas ao Ricardo pela pequena gafe da Bienal.

Espero a opnião de vocês!

Beijinhos!

You Might Also Like

13 leitores apaixonados❣️

  1. Eu tive a grande oportunidade de trocar algumas palavras com o Ricardo e ele foi uma pessoa muito doce comigo, o que é raro porque quando alguns escritores estão fazendo sucesso eles simplesmente se tornam esnobes. 72 horas para morrer é um livro incrivel, super bem escrito e desenrolado, eu adorei e olha que eu nem leio livros nesse estilo. Odeio livros com morte sempre me fazem ter pesadelos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Ricardo é um autor muito bacana, além de escrever bem é uma ótima pessoa, super atencioso. Eu amo o gênero de livro que ele escreve, ainda mais com aquele final!

      Beijinhos

      Excluir
  2. parabéns pela entrevista.... ver o filhos dormindo lhe traz inspiração, acho que o silêncio que a casa fica qdo isso acontece !
    ja te sigo....
    Tem sorteios no Blog, passa lá !
    www.unhasebocas.blogspot.com.br
    https://www.facebook.com/pages/Unhasbocas/477832645611169?fref=ts

    ResponderExcluir
  3. Bom Dia,Passei Por Aqui Para Fazer Uma Visitinha Ao Seu Blog E Recomendar Essa Postagem.
    Se Não For Pedir Demais Será Que Poderia Retribuir A Visita Em Meu Blog?
    http://www.amoradistanciablog.com.br/
    Obrigada Desde Já E Parabéns Pelo Trabalho No Blog.

    ResponderExcluir
  4. Olá Michelle!
    Adorei esse post, muito interessante e me deixou com ar curiosidade! Irei voltar mais vezes aqui! Parabéns e sucesso nas postagens, continue assim que está perfeito!

    Te espero para conferir as novas postagens no meu blog!
    Abraç, jeffrey!

    http://jeffreycorreia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Mi,
    Eu adoro essas entrevistas, conhecemos mais sobre o autor, e entendemos um pouquinho a motivação deles, eu já li 72 horas do Ricardo, confesso que não é meu gênero favorito, mas ele com certeza tem talento.
    Adorei conhecer seu cantinho, parabéns!
    Beijos

    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://www.coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patty,
      Eu também adoro entrevistas, com elas nos sentimos mais perto dos autores. Eu adorei o livro 72 horas, mas depende muito do gosto da pessoa!

      Beijinhos

      Excluir
  6. Muito bacana a entrevista, *-* Parabéns!
    Já tinha lido sobre o livro do autor, mas nunca tive oportunidade de lê-lo. :/
    beijos
    apenas-um-vicio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho Dessa!

      Assim que tiver a oportunidade leia e me diga se gostou!

      Beijinhos

      Excluir
  7. Fiquei super curioso para ler o livro dele! Adorei a entrevista.
    Abraço,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vinícius.

      Ele é uma simpatia de pessoa e é sempre um prazer entrevistar autores assim! Quando tiver oportunidade leia, eu amei!

      Beijinhos

      Excluir
  8. Ah que fofo ele. Quero muito ler os dois livros. Esse lançamento dele é interessante.

    beijos

    Beatriz - wwww.livredujour.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Beatriz

      Eu só li 72 horas e adorei! Se puder compre, vai gostar também!

      Beijinhos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Instagram

Assine

Follow

Linke-nos

Blog Canteiro de Obras Literárias