Entrevista # Carla Montebeler

06:30

Olá Galerinha!

Tudo bom?

Hoje venho com mais uma super entrevista, espero que gostem da querida Carla.





Carla Cristina Montebeler estudou História e Teoleogia e lecionou durante anos nas escolas dominicais das Igrejas Batistas em Belo Horizonte, onde sua paixão pela história hebraica era notória. “Quando fiz uma brincadeira com uma amiga do trabalho sobre uma situação desigual de forças, dizendo que seria como Davi e Golias, e ela não entendeu a piada, percebi o quanto minha geração ignora de uma história e uma cultura tão interessante quanto a de Israel. Acho que foi ali que Samah nasceu, contando para seus netos como Yaweh escreveu a história deles.” Diz Carla sobre a série As Crônicas de Adulão.Atualmente é palestrante e trabalha com a juventude evangélica em Belo Horizonte, cidade onde nasceu e ainda reside com seu marido, Wellington Fabiano Montebeler e o filho deles, Guilherme.




O Vale de Elá começa com as reminiscências do ancião Samá, relembrando seus tempos de combate na construção do Reino de Israel. Quando jovem, a ambição de sua mãe o leva a fugir do povoado onde morava para salvar sua irmã de um casamento imposto e da dívida recorrente da negociação do dote. Ele integra então aos guerreiros que haviam rompido com o rei daquela época, Saul, e aliado a Davi, candidato a sucessor do trono devido a uma profecia. A jovem aldeã Nazaré acompanha seu amado nesta fuga e o trio chega ao vale de Elah, onde são recebidos e integrados à comunidade que vivia na caverna de Adulão. Samá percebe que a vida de pastor de ovelhas havia ficado para trás quando inicia seu treinamento de combate nesse grupo formado de guerreiros descontentes com o sistema em vigor. Devido a sua altura e grande destreza com a espada, logo ele passa a contar com a confiança e amizade não só de Joabe, capitão que treina os milicianos, mas do próprio Davi.O drama de Davi e sua família, os motivos da ruptura entre Saul e seu principal capitão, coincidem com o início da formação da família de Samá. A calma da narrativa desse primeiro tomo esconde um segredo: muito drama, guerras, risos e lágrimas ainda estão por vir. Deixe-se conduzir nas memórias de um homem para ver o descortinar do surgimento de todo um reino através da história desse reino: os hebreus!

O Livro pode ser comprado também  pela Amazon



1. Como foi seu primeiro contato com a leitura? 

Uma das lembranças mais gostosas da minha infância são as que estou no colo da minha irmã e ela lia gibis da Turma da Mônica pra mim. Tinha uns três anos.  Aos seis,  já alfabetizada, continuei lendo tudo o que me caia nas mãos,  até bula de remédio. Adorei quando, ao entrar pra escola,  descobri que EMPRESTAVAM livros pra gente! Uau!! A série Vagalume foi amor à primeira vista.  Daí pra cá,  o prazer e o vicio da leitura se misturaram ao sonho de me tornar parte desse mundo.


2. Na infância, qual era sua relação com os livros? 

Completamente apaixonada. Sempre gostei de desafios literários.  Lembro-me de ter lido a Bíblia toda, pela primeira vez, aos dez anos. Minha família não tinha recursos, livro era muito caro a trinta anos atras, então todos os livros que eu li eram emprestados. Mas ficava maravilhada com as historias fantásticas.


3. Quando você começou a escrever? 

Aos quinze anos. Mas não tinha coragem pra levar a coisa adiante. Escrevia estudos, crônicas, sermões...Até me aventurei com alguns livros. Aos trinta foi que decidi que levaria minhas historias a outras estantes, decisão da qual, até hoje, não me arrependi.


4. Quais são suas inspirações para escrever? Tem algum autor como referência?

Nossa, muitas. Meu sonho é chegar a escrever como Frank Peretti, autor de Este Mundo Tenebroso.


6. Quanto tempo levou para escrever seu livro e como foi a experiência? 

Três meses inteiros. Eu já conhecia Historia de Israel, não só pelo curso de teologia ou de História,  que foi o que estudei na faculdade, mas pelos anos que li e ensinei sobre a Historia de Davi. Então,  enquanto imaginava os motivos que poderiam levar alguém a se meter numa Caverna daquelas, Samah foi tomando forma na minha mente. Fiz um mês de pesquisas, já que nunca estive em Israel, e a história praticamente pulou pro papel!


7. Quais são as dificuldades para que um autor consiga ser publicado e conhecido no mercado literário brasileiro? 

Muitas. As grandes editoras praticamente eram 'donas' das distribuidoras e livrarias. ol,dar um livro pra avaliação de uma delas, é tanta burocracia e demora que acabamos desistindo. Aí partimos para editoras pequenas, que trabalham como gráficas, nao dando muito suporte aos livros. Com sorte, vendemos entre parentes e amigos.  Acredito que viver de literatura ainda é um sonho distante.  Atualmente,  o pagamento do autor brasileiro é conseguir ser lido.


8. Como você vê a literatura brasileira atualmente? Quais são suas expectativas quanto à ela?

Graças à Internet,  conseguimos espalhar nosso trabalho com a ajuda de blogueiros ee professores idealistas.  Isso chamou a atenção das editoras para a prata da casa. Começaram a surgir eventos literários e alguns autores nacionais tem rompido esse mar de gringos que é a literatura! Espero que os leitores prestigiem e apoiem, ao conhecer cada vez mais da literatura brasileira.


9. Sei que essa pode ser uma pergunta difícil, mas qual seu livro preferido?

A Bíblia, sem dúvida!


10. Qual livro nacional você recomenda? Por quê?

Da geração nova? Uau!!!! São tantos!  Hoje acho que vou sugerir o O Sol da Meia Noite, do Fabricio Medeiros.


É isso aí Galerinha. Espero o comentário de vocês e em breve venho com mais entrevistas, com nossos queridos autores.

Beijinhos!

You Might Also Like

24 leitores apaixonados❣️

  1. Oi Mih!

    Adoei a entrevista, esse livro esta na minha lista de desejados, adorei a capa e a sinopse, e a autora é muito carismática!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Paula! Obrigada. Espero que depois me diga suas impressões sobre o livro, ok? Beijocas. Carla

      Excluir
  2. Adorei a entrevista.
    Não conhecia a autora, nem seu livro. Não me interessei muito pela trama, pois não gosto muito do cenário medieval.
    Parabéns a autora pelo seu trabalho e dedicação. Desejo muito sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Pamela. Obrigada!
      O livro não é medieval, já que é ambientado na Era do Bronze, séculos antes dos cavaleiros e suas armaduras! Aventure-se... quem sabe, né?
      Beijos.
      Carla Montebeler

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?
    Gostei muito da entrevista. A autora é muito simpática. Gostei da sinopse e da capa do livro. Gostaria de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mônica!
      Muito obrigada!
      Me conte depois o que achar da leitura, certo?
      Beijocas!

      Excluir
  4. Gostei muito da entrevista, mas o livro não faz muito o meu estilo :/
    Desejo muito sucesso para a autora, espero saber de novos lançamentos dela!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciana!
      O srgundo livro da série será publicado em agosto.
      Talvez você goste mais de "Quem Salvará o Herói" um romance que estou escrevendo em parceria com Fabricio Medeiros. Ainda está em produção, mas assim que for lançado, faço questao de avisar! Quem sabe te conquisto, né?
      Beijos.
      Carla Momtebeler

      Excluir
  5. olá!
    A entrevista ficou muito boa e achei super legal a ajuda para divulgar mais um pouco o livro. Os autores nacionais precisam de nossa ajuda, pois o foco aqui é sempre que o melhor é o internacional. Que bom que essa barreira vem sendo quebrada.

    Sobre o livro, confesso que não gosto do genero tipo histórico, mais já li uns!
    E até que gostei. Então vamos dar uma chance pra esse também.


    Sucesso para a autora e parabens ao blog pela entrevista.

    bjos.
    Leitura de Ouro
    https://leituradeouro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi Mila!

    Não conhecia o livro, mas a premissa parece bem interessante. Gosto de fatos históricos mesclado com ficção. A entrevista ficou ótima e autora é uma simpatia. É sempre legal saber como um autor começou a escreve e de onde surgem suas ideias. Sucesso para a autora.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu também era apaixonada pela série Vagalume! *-* Sei que é complicado para os autores nacionais, e espero que eles ganhem mesmo cada vez mais espaço. Ótima entrevista! Desejo muito sucesso à autora!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ju!
      Torça mesmo por nós. O apoio é muito importante.
      Beijo.

      Excluir
  8. Olá Mi!
    Adorei a entrevista.
    A Carla parece ser uma pessoa muito legal.
    Eu já li o livro dela e no começo não me identifiquei, mas depois fiquei interessada pela continuação.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suelen!
      Obrigada, viu!
      Depois de muitas batalhas, a continuação sai na Bienal de Minas. Você vem?
      Um abraço,
      Carla Montebeler

      Excluir
  9. Me identifiquei muito com ela, pois suas primeiras experiências no mundo da leitura foram com os gibis da "Turma da Mônica". Quem nunca?!?!
    A sinopse desse livro me deixou bem curioso pra ler. Gosto dessa mescla de História com ficção. Vou procurar saber um pouco mais sobre ele.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nardonio, escrever ficção histórica é dificil porque não podemos deixar a narrativa parecer uma aula de história. Leia As Crônicas de Adulão e me diga depois o que achou do meu estilo?
      Um grande abraço!

      Excluir
  10. Oieee, eu já conhecia este livro através de alguns blogs, porém ainda não tinha visto nenhuma foto da autora rsrs, adorei a entrevista, principalmente a parte que ela disse que começou a escrever com quinze anos, com certeza é um grande dom kkk, tenho 18 e até hoje não consegui começar a escrever meu livro kkkk, Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo, escreva!!!
      Tenho certeza que há muitas histórias e personagens bacanas martelando sua cabeça, pedimdo pra sair! Kkkkkkkkkkk

      Excluir
  11. Oiee,
    Ah eu também comecei pelo gibis da Turma da Mônica, sou apaixonada pela serie Vagalume *.*
    Não conhecia a autora e seu trabalho, gostei bastante da entrevista e pretendo pesquisar mais sobre o livro dela, e esse que ela acabou indicando.
    Beijos

    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, e o bom é que a turma da Mônica cresceu junto com a gente, né? Se bem que eu ainda prefiro ler os gibis tradicionais deles.
      Beijos.

      Excluir
  12. Olá Michelle. Parabéns pela entrevista. Os autores nacionais deveriam sempre serem colocados em pedestais!

    Beijo

    ResponderExcluir
  13. OI Mi, tudo bem?
    Estou adorando participar desse projeto junto com você!!!!!! Achei muito engraçado ela descobrindo que a biblioteca da escola emprestava livros!!!!! E como ela eu li vários livros da coleção Vagalume, recomendo para todo mundo, pois cada livro é de um gênero diferente. Fiquei impressionada, ela leu a bíblia inteira, que é um livro super complexo aos 10 anos.
    Sucesso Carla, quero conhecer sua história,.
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila!
      Meu sonho é ter um projeto para levar bibliotecas para todas as cidades do país, principalmente no norte de Minas, onde é tão carente. A leitura salva vidas ao abrir novos horizontes, não é?
      Beijocas, Carla!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Instagram

Assine

Follow

Linke-nos

Blog Canteiro de Obras Literárias