Penas e Nanquim - Henshin Mangá

19:08

Efetivamente, essa é a primeira coluna que falo de um mangá. E esse na verdade é um copilado de 5 histórias nacionais no estilo mangá, lançado pela JBC em Julho/Agosto. 

Primeiramente, queria pedir desculpas que quarta-feira passada eu não pude está aqui no blog fazendo a coluna semanal, pois estou em semana de entrega de trabalhos e provas, então estou muito corrida. Hoje mesmo entreguei um trabalho que tive que fazer estampa de uma camisa e estava terminando de fazer um colar de resina para minha prova de tridimensional (coisas de design, quem quiser ver como tá ficando, dá uma acompanhada pelo meu instagram, tem o passos da joia por lá). Então por esses motivos, eu quase não estava vindo para fazer a dessa semana. Mas prometo que a partir da semana que vem tudo vai se normalizar novamente. 

Voltando agora para o Henshin Mangá

Ouvi muita gente se perguntando se "valia a pena" comprar. Eu li e digo que sim. Não apenas para valorizar o nacional, mas por ser, no minimo, interessante. 

Algumas das cinco histórias apresentadas vão dividir opinião dos leitores. Não desmerecendo o trabalho dos autores, mas terá quem se pergunte porque escolheram essa história? 

Para entender o que é o Henshin Mangá, devo explicar que ele é o resultado de um concurso (o primeiro) nacional que a editora JBC fez no país. Dos 5 primeiros lugares do concurso, eles criaram esse encadernado. Essa foi uma iniciativa totalmente inedita pela editora, e será repetido anualmente. Para valorizar ainda mais o nacional, a editora lançou, em tempo com esse volume, o Selo INK COMICS que lançará apenas obras nacionais, e tem mais duas confirmadas ainda para 2014. (essas que tem prévias no final do volume Henshin Mangá). 

O nome Henshin veio de uma antiga revista impressa que trazia matérias sobre animes, mangás e cultura japonesa, hoje em dia virou um site e ganhou extensões como eventos e também um canal no youtube, tudo como se fosse um grupo da Editora JBC
Capa e 4ª Capa do Vol. Henshin Mangá
(volume de Acervo Pessoal, cedido por parceria da Editora JBC)

Mas voltando ao mangá, como eu disse, duas das cinco histórias vão dividir o publico. É daquelas que, ou desperta amores ou o ódio. E aos que não vão amar pode até surgir a pergunta: porque escolheram? Aos que amarão, vão pedir mais.

O legal do encadernado é que além das histórias vêm também os comentários dos jurados em cada história. (e não é que percebi que eu sirvo para ser jurada? Tudo que notei, critiquei, avaliei e comparei, vi que os jurados notaram, avaliaram, criticaram e compararam em seus comentários finais.
E seguindo a linha de coletânea aqui, vou comentar sobre cada história, afinal, eles merecem.

Ah, acho que o modelo de coletânea deve ser mais aproveitado por esse novo selo da JBC. E uma coisa que deve ser colocado em consideração é que por serem histórias curtas, coisas que nós leitores estamos acostumados (como com personagens mais profundos) deixam muito a desejar. Se isso já acontece em volumes únicos, imagina em histórias que tem tamanho de um capitulo. Então, nenhuma das histórias tem tempo o suficiente para desenvolvimento mais profundo de protagonista muito menos de enredo. É um volume para se divertir, acima de tudo. Mas a JBC pode entrar em contato, principalmente com os autores de [Re]Fabula e Entre Mosntros e Deuses, para que esses mesmos ganhadores fizessem uma revisão e um trabalho mais aprofundado de seus roteiros. Eu, assim como acredito que muitos leitores, adorariam ver essas histórias bem mais desenvolvidas.

Em meu blog pessoal, eu fiz resenha de cada uma das cinco histórias apresentadas, mas por conter alguns (poucos) spoilers, eu não quis fazer o mesmo aqui na coluna. Mas para quem quer saber mais do titulo, podem acessar a resenha por aqui.

MIAKA FREITAS
Me Siga também nas Redes Sociais: 

You Might Also Like

12 leitores apaixonados❣️

  1. Oi Miaka!

    Estou adorando conhecer um pouco mais sobre Mangás!
    Nunca li um, mas acho as ilustrações lindas!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As ilustrações são lindas (mas não é de todos os mangás, isso vária de desenhista pra desenhista, pois cada um tem seu próprio traço. Sem falar que gêneros também tem diferença de estilo pra estilo!).

      Excluir
  2. Oie!
    Não conhecia o projeto da JBC, mas achei super interessante, principalmente por motivar os artistas nacionais! E muito bacana o novo selo, vou procurar saber mais sobre os lançamentos...
    Uma pena que as histórias estão pecando um pouco no desenvolvimento, mas acho que a 'melhoria' vem com o tempo, é uma forma de amadurecimento. Espero que os próximos volumes não deixem tanto a desejar.

    Beijinhos e um maravilhoso fim de semana,
    Cássia :*
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Cássia. Acho que é um erro até fácil de ser compreendido já que é poucas páginas para a construção de uma história, não dá para ser uma obra master de literatura.
      mas a melhor coisa é realmente esse incentivo. E vai ser um concurso anual. Mal vejo a hora de ver quais serão as obras vencedoras nos próximos volumes.

      Beijinhos!!!

      Excluir
  3. Ola a cada postagem conheço um pouco mais sobre os mangás pois sendo sincera só conheço os da Turma da Monica Jovem e adoro; abraços

    Joyce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha. Então visite sempre, assim ficará sabendo que não só de Turma da Mônica vive um leitor de quadrinhos no Brasil XD

      Beijinhos!

      Excluir
  4. Oi Miaka,
    minha filha provavelmente iria gostar... final ela tem alguns mangás que comprei para ela. e claro que ela acompanha a turma da mônica jovem nesse formato. eu gosto de quadrinho, mas mangá não é muito um dos meus preferidos estilos.

    um abraço

    www.navioerrante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena Antonio,
      O problema que mangá pra brasileiro é como musica brasileira para o internacional. Eles acham que só se resume a Naruto e Pokemon (do mesmo jeito que muitos países compra a musica brasileira achando que é só Michel Teló).

      Tem muito mangá de enredo adulto, com drama e histórias mais complexas, sem lutinhas básicas, comédia e tal.
      E muitos mangás que se viesse para nosso país, muitos iam duvidar que seriam Mangás por parecerem muito com quadrinhos de outros estilos.

      O que ainda conhecemos por mangás aqui no Brasil é só a superfície de um mar imenso de variedades e estilos!

      Beijinhos =*

      Excluir
  5. Oi Miaka, tudo bem?

    É aquele velho problema. Não consigo engolir mangás :/ . Teve uma época da minha vida que eu era looooouca, mas agora, não consigo nem manusear :/

    ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pamela, é como falei no comentário acima. Tem muita coisa do gênero que ainda não conhecemos. Achar que mangá é só naruto e pokemon, é como dizer que a musica brasileira é só michel teló.

      Espero que essa aversão possa mudar quando conhecer outro titulo que te fará ter vontade louca de ler, essa aversão possa sumir.

      Atenciosamente,
      Miaka Freitas

      Excluir
  6. Olá Miaka!
    Eu não gosto muito de mangá. Não vejo muita lógica nas histórias. Mas dr jeito maneira alguma critico quem gosta. Achei bacana você comentar que dois dos escritores tem que melhorar as suas histórias. Sempre temos que evoluir e a editora pode dar esse toque para eles.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suelen, é como falei já para o Antonio e para a Pamela.
      Os mangás que aparecem no mercado brasileiro sempre tem coisas em comuns e nossa escolha é limitada.
      Mas quando se expande para tudo que está disponível no mercado japonês (e traduzido na internet) você consegue achar histórias que batem de 10 a 0 para muitos livros que eu mesma tinha em listas de favoritos quando gostava da trama.

      é muito normal a gente julgar todo estilo por algumas amostras que nos foram apresentadas.
      Mas assim como no Brasil tem obras bem infantis como Turma da Mônica, temos quadrinhos de teor adulto e politico, como A Revolta (André Calliman), Laerte, e muitos outros.

      Então julgar o todo por uns poucos que conseguem ser vendidos fora do país é uma lastima, estou aqui para querer também apresentar estórias que sejam diferentes daquelas que estamos acostumados por encontrar. Mas para isso to separando uns tempos para pesquisa, ai demora um pouquinho mais ^^

      Beijinhos =*

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Instagram

Assine

Follow

Linke-nos

Blog Canteiro de Obras Literárias