Novidades Literárias # Lançamento de Julho - Geração Editorial

14:15




Olá Galerinha!

Tudo bom?

Hoje venho mostrar para vocês o mais novo lançamento da nossa parceira Geração Editorial.





Golpe de Estado: O espírito e a herança de 1964 ainda ameaçam o Brasil
Autores: 
Palmério Dória e Mylton Severiano
Gênero
Reportagem

Acabamento: Brochura
Formato:  15,6 x 23 cm
Págs: 266
Peso: 367gr
ISBN: 978-85-8130-270-6
Preço: R$29,90
Pré-venda: Amazon | Livraria Cultura  | Livraria Saraiva 
E-book
ISBN: 978-85-8130-271-3
Preço: 
R$ 19,90
Sinopse:

A DITADURA DE 1964 ACABOU? O QUE NOS FICOU DAQUELES ANOS NEGROS? Este livro empolgante, que se lê de um fôlego, nos revela que a ditadura de 1964 estende seus tentáculos aos dias de hoje, quando parte da população, insuflada pela mídia, bate panelas e desfila nas ruas com palavras de ordem bem parecidas, disfarçadas pelo necessário combate à corrupção. A ditadura militar foi instaurada pela elite civil que usou os militares para impor sua vontade, e o preço que pagamos hoje é a educação sucateada, a violência policial crescente e as marchas reacionárias e desnorteadas, que protestam contra a volta de um sistema injusto e excludente. AS MARCAS DE 1964 NO PAÍS DE 51 ANOS DEPOIS. Você vai ler aqui, meio século depois do golpe militar, depoimentos reveladores (e comoventes) de quem viveu aquele tempo e reflete sobre os atos atrozes e sua herança, ainda capaz de dificultar a possibilidade de o Brasil – um dos maiores e mais ricos países do planeta – tornar-se autônomo e desenvolvido. DOIS JORNALISTAS QUE ESTIVERAM LÁ E EM MOMENTOS POSTERIORES DA MAIOR IMPORTÂNCIA…escreveram este relato contundente que, em 32 capítulos, condensa a memória assustadora e vívida de um período cujas sombras continuam a se estender sobre nós.
————————————————————-
O ENTULHO QUE A DITADURA NOS DEIXOU: PAGAMOS ATÉ HOJE PELO GOLPE DE 1964
Um livro indispensável para quem quer conhecer e entender a história do país pós-1964, ano de implantação da ditadura militar que conduziu o país até 1984, quando foi eleito – de forma indireta – o presidente Tancredo Neves, que morreu e foi substituído pelo vice José Sarney – assim pode ser visto “Golpe de Estado”, mais uma obra polêmica de Palmério Dória e Mylton Severiano da Silva, autores dos best-sellers “Honoráveis Bandidos” e “O Príncipe da Privataria”, todos pela igualmente polêmica Geração Editorial.
Ao relembrar como uma elite financeira, industrial e agrária conservadora levou a classe média à histeria no início dos anos 60, preparando o terreno para o golpe militar de 1964, o livro lança luzes sobre os dias de hoje, quando jornais, rádios e TVs clamam aos céus contra a “corrupção”, levando com eles os desinformados que desfilam nas ruas e batem panelas de suas varandas.
“A corrupção – ressalta o editor Luiz Fernando Emediato – foi sempre a palavra de ordem dos golpistas nos anos 50 (para derrubar o governo eleito de Getúlio Vargas, que se matou) e, aliada à ameaça comunista, também nos anos 60, para seduzir os militares fiéis aos norte-americanos. A palavra voltou agora, quando se pretende destruir um partido, o PT”.
Mas, cuidadoso, o editor acrescenta: “Claro que nenhum de nós, cidadãos honestos, podemos aceitar a corrupção. No entanto, quando as denúncias vêm daqueles que sempre a praticaram, aí é bom desconfiar”.
TESTEMUNHAS DA HISTÓRIA
Os jornalistas Palmério Dória e Mylton Severiano da Silva (que morreu antes de ver o livro lançado) recuperam histórias da época, muitas das quais eles mesmos participaram, como agentes ou testemunhas, algumas delas pouco conhecidas. Eles pesquisaram os fatos e entrevistaram outros jornalistas, políticos e personalidades que, assim coo eles,viveram os fatos e sofreram suas consequências.
 A ideia que os norteia é simples: provar que a ditadura nos legou um entulho de que estamos nos livrando, mas de maneira precária, com fortes recaídas no autoritarismo e com uma sociedade que, em matéria de desigualdade, violência, elitismo e exclusão, continua imbatível. Uma sociedade dividida e grande parte dela igualmente autoritária e conservadora.
 Uma frase de Walter Benjamin, afirmando que o estado de exceção é o de regra geral, dá o tom do livro, que tem 32 capítulos e uma providencial linha do tempo com os fatos de maior importância entre 1882 e 2014, quando o golpe militar “comemorou” 50 anos.
O autores, algo saudosos do jornalismo heroico da primeira metade do século XX, lamentam o fato de o jornalismo ter se transformado um negócio comercial, com mais espaço para frivolidades e serviços; a cultura massacrada e transformada em mero objeto de consumo; o predomínio das finanças (agora sob o império global) sobre o investimento, que gera riqueza real; e a persistência da pobreza, da desigualdade e da injustiça social, tendo em vista o estancamento das reformas que tornariam possível o crescimento do país e uma melhor distribuição da renda e das riquezas.
O livro resgata também a imagem do presidente deposto João Goulart, tido na época como homem fraco e dispersivo, mas que, na verdade, tinha grandes projetos sociais para o país e antes do golpe, segundo o Ibope, contava  com 86% de popularidade.
Um país pronto para decolar – como aconteceu com a Coreia do Sul – é revelado, com o chocante estancamento do processo que tornaria o desenvolvimento possível, segundo Goulart e seu cunhado, o então ex-governador do Rio Grande do Sul Leonel Brizola. O que se seguiu ao golpe – violações de direitos humanos, prisões, torturas, assassinatos de adversários políticos e até de inocentes – é revelado cruamente, o que pode chocar quem não tem muita informação sobre o período.
Sobre os autores: 
Mylton Severiano e Palmério Dória –  Envolvidos na análise dos fatos que precipitaram 1964 e em suas consequências nefastas, Mylton Severiano e Palmério Dória testemunharam os crimes e desmandos daquela era, pois Severiano esteve na lendária revista “Realidade”, extinguida pelo AI-5 em 1968, e Palmério Dória, entre outros feitos, escreveu o único livro existente sobre o pistoleiro Alcino João de Nascimento, envolvido no polêmico “atentado de Toneleros” que precipitou o suicídio de Getúlio Vargas em 1954.  Ambos documentaram também a era Sarney e a era FHC em livros de denúncia que foram grandes sucessos de vendagem e leitura, “Honoráveis Bandidos” e “O Príncipe da Privataria”.

You Might Also Like

16 leitores apaixonados❣️

  1. Nossa, que livro forte né! Prefiro uma ficção romântica pra viajar e escapar um pouco...

    ResponderExcluir
  2. Olá, Mila. O enredo do livro não me atraiu muito. :(
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Gostei muito do lançamento.
    Curto livros com uma temática interessante, acho que gostaria desse.


    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Achei o tema muito interessante, mas me pareceu uma crítica ao que temos hoje sem, necessariamente, revelar ao leitor como superar desse quadro. Quero dizer, se os protestos hoje são considerados apenas um reflexo de 1964, então, quais são as nossas alternativas? Enfim, fiquei curiosa, mas temerosa sobre a abordagem da obra.

    Beijos!
    http://ww.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olha eu sinceramente não pegaria um livro assim para ler, porque curto livros mais leves
    e com outros tipos de tema. Esses mais históricos assim não curto muito não.
    E já sendo forte, não seria um livro que eu pegaria para ler.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-erica.html

    ResponderExcluir
  6. Oiee ^^
    Já tinha visto a capa e sinopse de "Golpe do estado", e fiquei bastante curiosa para ler. Tem cara de ser bomba.Estou bastante curiosa para saber o que tanto há no livro.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Esse livro está me perseguindo e não vai parar até que eu leia haha. Adoro livros históricos, eles apresentam um impacto muito grande nas pessoas e é uma obra que eu necessito ter em minha estante.

    http://loucurasaovento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Mih!!!

    O tema é fortíssimo em, gosto de livros assim. Só não sei se esse seria o momento para eu lê-lo.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Deve ser um livro muito forte ainda mais por causa de muitos fatores ocorrido naquela época, muito interessante o livro. É uma leitura que eu gostaria de fazer sim.

    Bjuuus!

    ResponderExcluir
  10. Oii, tudo bem?
    Eu adorei a premissa do livro! Eu gosto muito de livros que tem essa pegada na historia do brasil. Com certeza já está na minha lista de desejados.

    www.fonte-da-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, boa noite!

    Achei o lançamento muito intenso e eu gostaria de lê-lo, sim. É forte e mexe com a história. Gostei do lançamento.

    Beijo!
    Ana.

    ResponderExcluir
  12. Olá, boa noite!

    Achei o lançamento muito intenso e eu gostaria de lê-lo, sim. É forte e mexe com a história. Gostei do lançamento.

    Beijo!
    Ana.

    ResponderExcluir
  13. Este livro!!!! desde que vi pela primeira vez fiquei com vontade de ler. Hoje vendo teu post me deu mais vontade ainda!

    Show de bola! *-*
    Pensamentos Valem Ouro

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia o livro e amei a indicação, gosto de obras que tenham algo interessante a dizer.

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu não gostei desse livro, pois não é o tipo de leitura que costumo fazer.
    vou aguardar os próximos lançamentos.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Mi lindona dessa vez o lançamento não chamou minha atenção. Não faz meu gênero de leitura. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Instagram

Assine

Follow

Linke-nos

Blog Canteiro de Obras Literárias