No Meu Mundo...

14:28



Capítulo 3


Chegando a Harã, uma súbita mudança dos ventos abateu-se sobre a cordilheira, vindo do oeste, me fez rever minha trajetória. O odor se intensificou de tal forma que fazia com que eu não conseguisse me concentrar em outra coisa senão na minha vontade de alcançar aquele sangue, tão tentador. Viajava dia e noite, não mais me importei se Efrat continuava me seguindo ou não.
Em Biblos os ventos mudaram mais uma vez e a pista se enfraqueceu. O cheiro agora parecia vir do sul, da direção de Hazor, ou Alepo ou Ugarite. Eu estava perdido, ou pior que isso, andando em círculos. Ou então, o bruxo estava se esquivando, fugindo. Era uma grande possibilidade e seria até compreensível em um mundo onde a sua espécie estava em extinção enquanto a minha se proliferava tanto quanto ratos.
Quando cheguei a Tiro, um povoado situado na costa do Mediterrâneo onde centralizava-se todo o comercio regional, ouvi pela primeira vez os boatos sobre um certo galileu que possuía poderes extraordinários. Entre outras coisas, dizia-se que o homem fora capaz de trazer uma menina de volta do mundo dos mortos.
 A princípio, não dei atenção aos falatórios. As pessoas nem sempre eram confiáveis e sua existência breve e mirrada os fazia devanear a respeito de muitas coisas na tentativa de tecer explicações para o que não entendiam, já que não tinham vida suficiente para aprender.
Conforme percorria os povoados, as conversas iam se intensificando. Uns afirmavam que o homem era um charlatão, que na verdade apenas acordara uma menina que dormia. Outros, munidos de uma certeza quase sobre-humana, afirmavam ser tudo verdade e atribuíam cada vez mais milagres àquele a quem chamavam de santo.
Os boatos eram tantos e tão intensos que aquilo me tocou profundamente. Por um instante, esqueci-me de Adramelech e da minha vingança. Um fiapo de esperança crescia no meu peito perante a possibilidade de encontrar o milagreiro e trazer minha amada de volta.

Era uma ideia quase impossível, eu sabia, mas se esse homem pudesse mesmo ressuscitar os mortos, eu precisava encontra-lo. E também precisaria pedir. Mas, caso não fosse o bastante, eu estava disposto a pagar o preço.

Saiba mais em: www.raquelpagno.com

You Might Also Like

0 leitores apaixonados❣️

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Instagram

Assine

Follow

Linke-nos

Blog Canteiro de Obras Literárias