Resenha # Nany People - Ser Mulher Não é Para Qualquer Um

10:00

Ser mulher não é para qualquer um narra a trajetória pessoal de Nany People que, como ela mesma diz, nunca saiu na Playboy, mas vive no imaginário das pessoas. Chegou a São Paulo aos 20 anos sem muitos recursos, mas com muita determinação. Dos shows que fazia como drag queen em casas de espetáculo, passando pelo teatro e por rádios, logo alçou voo para a televisão, conquistando de vez o Brasil. Assinou uma coluna na G Magazine por quase dez anos, fez programas de rádio na Jovem Pan e na 89 FM, trabalhou como repórter nos programas de Goulart de Andrade, Amaury Júnior e Hebe Camargo. Sua veia cômica a levou para o banco do programa “A praça é nossa”, de Carlos Alberto de Nóbrega. Hoje Nany atua principalmente no teatro e na televisão. Mesmo passando por inúmeros obstáculos na vida, Nany nunca deixou de fazer piada. Essa marca registrada acaba sendo sua maneira particular de celebrar a vida. Mais do que experiências, Nany compartilha com os leitores detalhes comoventes de sua história. Ser mulher definitivamente não é para qualquer um.

Autor: Flávio Queiroz
Páginas: 207
Editora: Planeta
Onde Comprar: Amazon  //  Submarino  //  Livraria Cultura
Classificação:  







A história dela nos é apresentada de ordem cronológica, do seu nascimento, até quando aos seis anos Nany ainda era Jorge Demétrio Cunha Santos, descobriu que já era todo delicado e diferente dos irmãos e viu na mãe um suporte para esse seu lado, ainda mais quando seu pai age de uma maneira bem rude e a frase que ele escutou dela é a mais pura verdade.


"As pessoas fazem com a gente aquilo que a gente deixa- até quando a gente deixa."
Página 17 


Seu pai era um bêbado e sempre que colocava álcool na boca, sobrava para Nany, então ela escondia sua opção para não ter problemas com o pai.

Com 7/8 anos, ela se muda de Serrania com sua mãe e irmãos para ficar perto de seu pai em Poços de Caldas e a ida para lá foi um marco em sua vida, pois foi onde teve contato com o preconceito e com o teatro, por incentivo de sua mãe.


Durante uma parte de sua infância, até os 18 anos, foi obrigado a fazer terapia, para reverter sua opção sexual e por isso vivia dopado pela casa, por causa dos fortes remédios.


Aos 18 anos, durante o carnaval de 1983 e com a decisão de estudar em São Paulo, começou a nascer a Nany People.


Nany teve um inicio de carreira bem atribulado, pois trabalhava em dois empregos e após algum tempo começou a realmente estudar.


"Trabalhar no teatro me dava um prazer enorme. Mas não era registrada. Ganhava pelo que fazia. Depois de sair do banco, me virava para ganhar dinheiro e mais. Fazia de tudo para sobreviver."
Página 80


Após um tempo e com muita dedicação Nany começava a fazer a cada dia mais shows, chamando a atenção de todos, então dos palcos para a televisão foi um pulo.

A biografia  na minha opinião, teve dois pontos altos após a ascensão dela, uma não posso falar e a outra sua convivência em A Fazenda  3, onde ela mostrou a todos quem realmente é. Já gostava dela e após ler essa biografia, a admiração veio junto.

Outro ponto da biografia que me chamou  muito a atenção e me emocionou, foi o relacionamento dela com a mãe e suas tias, as mulheres que são a base de sua família.

A capa do livro está linda demais, assim como a diagramação.

A narrativa é fascinante, parece que a Nany está no sofá de casa contando tudo para a gente.

Não encontrei nenhum erro de revisão.

Super recomendo a biografia! Adorei!

You Might Also Like

16 leitores apaixonados❣️

  1. Fiquei morta de curiosidade para ler o livro.
    Gosto de biografias e essa mulher é poderosa demais!
    Adorei a dica
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  2. Oi Michelle, tudo bem?

    Eu não li muitas biografias, até o momento. As últimas que li, tinha trechos bem polêmicos e essa também parece que não ser diferente. Eu não sabia desse livro e conheci lendo sua resenha.

    Bjão Flor.

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. não conhecia a história dela,e até fiquei curiosa em ler a biografia... se eu tiver oportunidade, lerei... não sou fã da artista em si, mas tbm não torço o nariz pra ela de forma alguma... ^^

    ResponderExcluir
  4. O que achei mais bacana em tudo foi o apoio que recebeu da mãe. Se os pais soubessem o quanto isso é importante para os gays e trans, acredito que pensariam melhor antes de rejeita-los.
    Muito bacana a biografia!

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
  5. Adoro biografias e nossa, realmente fiquei interessada em ler o da Nany. Me lembro vagamente dela e acho que seria bom eu ler para me lembrar mais e saber sobre sua vida. :D Parabéns pela resenha!

    http://anneandcia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Puxa, deve ser uma história incrível! Adorei a capa, tá linda. O título tb tá mto legal. Quero ler!

    dicassliterarias.blogspot.com.br - Coluna Idalan

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Como não sou muito fã de biografias não tenho interesse por esse livro, mas a história de superação da Nany é mesmo muito bonita, principalmente sabendo que ela não contava com o apoio de toda sua família...
    Beijos
    sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi
    Biografia não é muito a minha praia, mas essa fiquei curiosa pra ler.
    Bjss

    ResponderExcluir
  9. Oi... não sabia que existia essa biografia e me surpreendi com a sua resenha, mas de fato é um livro que eu não leria porque eu realmente não curto muito esse estilo. Até das pessoas que eu mais admiro não leio, engraçado ne?

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Não sabia sobre essa obra e a resenha me despertou muita curiosidade para descobrir mais sobre a vida dela.

    http://loucurasaovento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá Mi!
    Não sou muito fã de biografia e afins.
    Pra quem é fã ou gosta do trabalho da Nany deve ser um livro muito bom.
    Essa dica eu passo.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Realmente, a biografia parece ser muito boa!
    Mas EU não gosto de ler biografias,
    mesmo que sua resenha tenha me dado um vontade de ler!

    Beijos,
    Karine - Lendo no Inverno

    ResponderExcluir
  13. Adotei a dica, flor. Eu não conheço muito do trabalho da Nany People, mas confesso que os pontos fortes da sua resenha me atraíram. Parece ser uma biografia que nos inspira a ser nós mesmos.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Mi! Não curto muito essas biografias, mas quem sabe um dia eu leia rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Dificilmente eu leio algum livro biográfico... Mas achei interessante em conhecer um pouco da vida de Nany People. Acredito que deve ter muitas polêmicas envolvidas em sua história. Até porque, assumiu que é homossexual na época a qual ele assumiu, era uma época que as pessoas acabavam olhando torto e não respeitavam.
    Não sei se eu leria esta obra, mas achei interessante o livro
    Beijos
    Ariana Silva
    http://ariabooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olha eu não conheço a obra e sinceramente nunca fui muito de ler biografias,
    mas espero ter a chance quando eu tiver tempo, porque eu tenho muitos livros para
    serem lidos e curto mais estórias sabe? Mas eu ainda não estou acostumada a ler gêneros assim.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/09/resenha-soldier-leal-ate-o-fim.html

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Instagram

Assine

Follow

Linke-nos

Blog Canteiro de Obras Literárias