Que a Força esteja com todos nós! - Análise do filme Star Wars - o Despertar da Força

10:00

Bom dia a todos, como vão? Como foram a festa de natal e a ceia? Eu espero que tudo tenha sido muito bem! :D Eu me apresento a vocês. Eu me chamo Cláudio e esta é a minha primeira participação como colunista no blog da Mila. Como colunista, eu falarei sobre livros, filmes e assuntos relacionado à cultura. Michele, meu muito obrigado pela oportunidade!

Então vamos a postagem? Nela falarei sobre as minhas impressões sobre o filme Star Wars – o Despertar da Força, o novo filme da saga.


Ainda estou flutuando por causa de Star Wars: o Despertar da Força. Várias ideias do filme são incríveis. Temos a inocência, o dinamismo, flashbacks dos filmes anteriores, a vontade, a confiança, o medo, a busca, a força do ser. Alguns paradigmas dos outros filmes foram quebrados. Que filme animal! O momento merece Binary Sunset como fundo musical e a imagem do Luke olhando o duplo por-do-sol. A minha felicidade pelo lançamento deste novo grande filme foi muito grande. Ele trouxe uma nova e interessante visão sobre diversos temas da saga. Vamos à análise?


O meu primeiro ponto de parada é o poster. Confesso que eu fiquei muito feliz com o filme porque minha análise inicial do poster do filme não se confirmou. Como podemos ver temos uma divisão clara. De um lado, o herói empunhando do sabre de luz azul e do outro dois personagens próximos (o vilão com o sabre vermelho e uma personagem feminina). Minha teoria de que a personagem feminina, Rey, correria perigo e seria seduzida pelo lado negro da força não se confirmou (pensei isso porque nos trailers podíamos ver a personagem em momentos de tristeza ou dor), mas a derrogada dessa teoria fez surgir outra: a de que há uma ligação muito mais forte entre eles do que o filme diz. Antes de adentrar nas peculiaridades do filmes, vamos à análise do conjunto da obra? :D


Visual:  eu achei o filme é muito bonito e várias de suas locações são espantosas (cito como exemplo as naves do Império afundadas em Jakku, a visão da base StarKiller, o cenário da luta entre Kylo - Finn e Rey e o planeta-exílio de Luke). Outro aspecto visual que achei muito fera foram os efeitos dos sabres de luz na luta final. O sabre azul ficou impressionante. Personagens principais: Finn, Rey, Kylo, Solo, Chewbacca, general Hux, BB-8 são personagens muito bons. Eu achei a interação e o carisma de todos um dos pontos fortes do filme, inclusive as partes de bom humor estão na medida certa (como não rir à beça naquela cena em que Finn faz um sinal de positivo e do BB-8 sai seu braço mecânico e na ponta dele acende uma chama imitado o sinal de positivo?). Aqui eu abro um espaço para falar especificamente sobre Kylo Ren. No início do filme, eu achei participação dele incrível, mas depois, por causa da sua dualidade, não. Eu o achei mimado, mas essa impressão passou com o decorrer do filme. De fato, eu fiquei maravilhado com a construção do personagem, pois novamente o título se fez literalmente. Sua dúvida profunda e sua batalha interna são impressionantes e fizeram dele, na minha opinião, um personagem muito interessante. Poderes: outro ponto interessante são os novos poderes apresentados. Eu os achei sensacionais, especialmente o poder de ler mentes (as cenas em que Kylo paralisa tanto o disparo laser como Poe e é repelido por Rey e ela consegue ler a mente dele são sensacionais!). A Protagonista: acho que esse é ponto mais forte do filme. A força e a intuição de Rey são incríveis. Sua jornada pelos caminhos da Força foi algo que me agradou muito e a sua batalha contra Kylo Ren foi fantástica.


Infelizmente nem tudo são rosas. Eu achei que "certas" questões enfraqueceram um pouco o filme. A subutilização de alguns personagens: os personagens Poe, Phasma e Leia poderiam ter maior participação. Foi uma pena, pois a trama poderia ganhar maiores proporções. O visual da Phasma é particularmente sensacional, mas sua participação foi praticamente nula. Vilão Snoke: Eu o achei fraquíssimo e sem muito propósito para o filme. Inclusive sua fala final foi sem lógica demais. Trilha sonora: esse foi o ponto que mais me deixou triste. Achei as músicas do filme sem impacto. Foram utilizadas músicas de filmes anteriores (cito Binary Sunset na luta entre Rey e Kylo e no encontro de Rey com Luke), mas as músicas novas não foram sensacionais ou próximas disso. Por exemplo, a luta entre Rey e Kylo merecia uma música incrível (quem não se lembra de Duel of the Fates, quando Quin Gon Jinn e Obi-Wan Kenobi enfrentaram Darth Maul no filme 1? Ou da entrada triunfal de Darth Vader ao som da Marcha Imperial? Músicas sensacionais, não é?). Esse é um ponto muito positivo dos anteriores filmes da saga. Há grandes músicas. Infelizmente isso não se repetiu em o Despertar da Força.


Depois da análise geral, chegamos às peculiaridades do filme que se referem às quebras de paradigmas. Vamos a elas. A primeira quebra de paradigma do novo filme é que, no início, não nem todos os personagens principais estão em uma relação direta com a Força como nos outros filmes. Apenas Kylo Ren está - mais especificamente com o lado negro - e mesmo assim ela é um pouco diferente, pois ele está dividido. E já que citei o vilão principal, vamos à segunda quebra de paradigma: personagens iniciantes mais destacados. Em o Despertar da Força nós temos 3 personagens principais iniciantes nos caminhos da Força e com grande destaque. Os personagens - Kylo, Rey e Finn - no início e no decorrer do filme apresentam-se em níveis diferentes na relação com a Força, refletindo inclusive o próprio título do filme. Essa análise leva à terceira quebra de paradigma: o lado da luz da Força como condutor de destinos. Esse talvez seja a mudança mais interessante do filme. Agora temos o lado da luz como parâmetro, iniciador e norteador de ações. Nos filmes anteriores o lado negro da Força tinha muito mais destaque. Em o Despertar da Força, temos a inversão e é muito interessante observar isso - desde a deserção de Finn porque tem que libertar Poe pois isso é o certo a se fazer, passando pela relutância de Rey em assumir seu papel e chegando a Kylo que luta contra o "Calling of the Force" (eu traduziria como "o Chamado da Força", mas no filme saiu como "a Tentação da Força"). A terceira quebra leva à quarta quebra de paradigma. O surgimento de uma Jedi, Rey, sem ter tido um mestre, aparentemente. Por que eu coloquei "aparentemente" no final da frase? Porque vários trechos do filmes originam tal questionamento como as imagens de sua visão ao tocar no sabre de luz de Luke (a imagem dela sendo deixada em Jakku, Luke com R2-D2 e Kylo) e a forma rápida como desenvolveu suas habilidades. Esses acontecimentos remetem à minha ideia sobre a ligação entre Kylo e Rey. Seriam eles irmãos? E teria Rey recebido algum treinamento jedi de Luke? Sabemos através do filme que Kylo recebeu. Inclusive eu achei que Rey e a princesa Leia do filme 4 se parecem um pouco. Um detalhe muito interessante. A frase que surge no final da visão de Rey "Esses são os seus primeiros passos" (se bem me recordo) é falada não por uma pessoa, mas por duas: os dois Obi-Wan Kenobi da saga. A quinta quebra de paradigma é a relação Pai-Filho e a redenção. Este paradigma está presente os filmes 4, 5 e 6. Ele explica a ligação entre Darth Vader e Luke Skywalker (revelada por Vader após sua vitória no combate do filme 5) e a consequente redenção de Vader ao salvar o filho do imperador no filme 6. Em o Despertar da Força, o paradigma inicialmente é invertido. Agora o filho (Kylo) é o mais forte do que o pai (Solo) e apenas aquele tem ligação direta com a Força. A quebra do paradigma acontece quando a redenção não ocorre, como no filme 6, e temos uma morte marcante (o George Martin fazendo escola. :p). A sexta e última quebra de paradigma refere-se a algo que eu achei sensacional: pela primeira vez na saga nós temos uma mulher como protagonista. Acompanhar a história de Rey - desde sua vida em Jakku até seu desenvolvimento e combate com Kylo Ren - foi algo fantástico. Eu vibrei!


Além de tudo o que comentei, 4 fatos chamaram a minha atenção. O primeiro não tem relação com a trama em si. Ele diz respeito a caracterização dos personagens e do ambiente durante o discurso do general Hux na base StarKiller. Tudo me lembrou um cenário nazista, inclusive o tom inflamado de Hux (como Hitler fazia). Curiosamente faz 70 anos que os aliados venceram a Segunda Guerra Mundial. Eu não sei se há uma relação com o evento, mas isso chamou muito a minha atenção. O segundo é sobre o sabre de luz de Anakin-Luke. Como ele foi encontrado? Pergunto porque ele caiu no vão após Darth Vader cortar mão de Luke no filme 5. Um grande mistério que vai ser desvendado no próximo filme? Espero que sim. :D O terceiro é sobre o Luke na parte final. Achei, primeiro, seu olhar resignado e depois ele ficou surpreso ao ver Rey, como se a conhecesse. Será que sim? Seria surpreendente! O quarto é o fato de haver uma lacuna de acontecimentos entre o filme 6 e o filme 7. Em vários pontos da história há referências a fatos passados, digamos, um pouco recentes (um dos mais interessantes para mim foi o discurso entre Kylo e ancião no começo do filme). Será que há um planejamento da Disney de lançar um filme contando sobre eles? Ia ser fera demais!

Chegamos ao fim da análise do filme. Eu espero que todos tenham gostado. Eu achei Star Wars - o Despertar é um grande filme, pois apresentou uma nova estrutura para a história da Força que achei fantástica. Tivemos algumas questões, mas elas não atrapalharam o andamento e a trama da história. Com toda a certeza eu vou comprar quando o DVD quando o filme estiver disponível para venda e já estou na espera do próximo filme da franquia - Rogue 1 - que será lançado no próximo ano. O que acontecerá no filme 8? Estou super curioso para saber! Dezembro de 2017 está tão longe!

Grande abraço a todos. Excelente segunda-feira! Até a próxima postagem.

E que a Força esteja com todos nós! :)

You Might Also Like

13 leitores apaixonados❣️

  1. Ola..
    Não sou uma grande fã de SW, mas assisti todos os filmes na companhia de meu marido e acabei me envolvendo na estória..
    Um classico como esse deve ser assistidos por todos..
    Estou doida pra ver esse novo filme nas telonas, a emoção deve ser maior ainda..
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oie, assim como você também achei que Leia, o Poe poderia ter uma participação maior, pena que não aconteceu.
    Gostei muito do filme, foi uma volta de Star Wars muito boa ♥ e certeira.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Minha nota para o filme é 7/10. Gostei de muitas coisas: Rey, Finn e adorei rever meus personagens queridos. Eu não gostei do vilão, achei muito mimado e chato.
    Depois que terminei o filme fiquei com tantas dúvidas e espero que elas sejam respondidas. Adorei sua análise do filme.

    Beijos
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  4. Desculpe Cláudio, mas não pude ler toda a análise porque quero muito assistir esse filme e não me dou bem com spoilers. Li até você analisar o poster oficial. Eu tenho uma teoria: um romance. Mas quero descobrir assistindo!
    Espero gostar tanto quanto você do filme!
    Beijão, Mari Scotti

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Eu simplesmente adorei esse filme! Principalmente por ter uma mulher como protagonista. Nada contra o Luke ou o Anakin nos filmes anteriores, eles sempre serão muito importante para a mitologia. Mas uma mulher como ponto central sempre traz outro tom para a história. Gostei bastante \o/
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  6. Oiiie
    Nunca assisti nem li nada de star wars, então eu sou totalmente leiga no assunto, mas foi legal saber um pouco mais sobre pela sua resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu não tenho nada com a Star Wars, mas eu não consigo entender muito bem o mundo que eles criaram então bem tive vontade de ir ao cinema ver, mas pela sua empolgação parece que ficou muito bem feito.

    http://www.coisasdemineira.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá! parabéns pelo seu texto, ficou magnífico!!Amo Star Wars e gostei bastante dos pontos que você analisou. Gostei bastante do fato da protagonista ser feminina. Agora, os efeitos? Maravilhosos né, já nos deixavam malucos os efeitos nos filmes anteriores, agora com toda a tecnologia ficaram ótimos. Amo mesmo e gostei da relação co Martin...Entendedores entenderam rsrsrs Abraços e que força esteja com você!

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, eu virei fã quando vi a saga na minha gravidez, fui praticamente obrigada pelo meu marido, mas eu amei.
    Então estou doidinha para ver essa nova versão, ouvi muitas opiniões controversas, uns amaram e outros odiaram.
    Enfim vou esperar para ver em casa e descobrir como ficou .
    Beijos.

    Giuliana

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    É impressionante como as pessoas são apaixonadas por Star Wars. Infelizmente, não consigo ter esse amor - eu sempre durmo nos filmes!
    Adorei sua análise e, pelo que vi, meu irmão (super fã) concorda contigo em diversos pontos.
    Que venha logo dezembro de 2017!
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Que invejaaaaaaaa! Não vi o filme ainda, aqui nao tem cinema.
    Morrendo de vontade aqui.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Cláudio!
    Eu amo SW, mas ainda não tive a oportunidade de ir ao cinema assisti-lo. Pelo o que tenho visto, as pessoas estão bem divididas, enquanto uns estão super contentes outros estão um pouco decepcionados. Confesso que eu, particularmente, não sei qual vai ser a minha reação logo após vê-lo, espero que seja positiva. :D

    Beijos!

    Books and Movies
    www.booksandmovies.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Não gosto muito desse tpw de filme 😐

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Instagram

Assine

Follow

Créditos

Template base por: Ipietoon Cute Blog Design
Modificado por: Ge Benjamim Ge - Capista, Diagramadora e Web Designer

Linke-nos

Blog Canteiro de Obras Literárias